Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2013

Almas

Se um relógio pudesse contar até ao momento exacto em que encontrarás a tua alma gémea, quererias saber?

 

Um minuto e vinte segundos.

As pernas dela tremiam. Um minuto e dezanove segundos. Olhou á sua volta os rostos das pessoas que passavam por si. O encontro dar-se-ia á porta da estação de comboios. Um minuto e seis segundos. Alguém, algures neste mundo possui a mesma contagem no seu pulso. Cinquenta e três segundos. A sua mãe disse-lhe que ela deveria estar entusiasmada, não nervosa. Dentro de cinquenta segundos iria conhecer a sua alma gémea, a sua outra metade. Olhou para o seu vestido cor-de-laranja e para as suas sabrinas pretas já gastas. Não acredita que a sua mãe lhe convenceu a vestir um vestido. É desconfortável. Abotoa o seu casaco comprido, o frio tornou-se mais violento.

Trinta segundos. Nervosamente mordeu o lábio enquanto olhava em redor. Acabou de chegar um comboio á estação. Ela olhou para o seu pulso. Vinte segundos. O seu coração começou a bater cada vez mais depressa. Os passageiros em passo de corrida começaram a sair e a entrada da estação encheu-se numa multidão. Os seus olhos castanhos perderam-se á procura de alguém que também estivesse perdido, que estivesse á procura da sua alma gémea. Á procura dela.

Restam zeros dias zero horas zero minutos e zero segundos para se encontrar com a sua alma gémea. Um jovem alto de cabelo rapado ao estilo militar parou á sua frente.

- Olá meu amor – sorriu-lhe.

Simultaneamente, um jovem de olhos esverdeados deu um encontrão ao sair com pressa dos grupos de amigos que haviam-se reunido á frente da estação.

- Desculpa minha alma – sorriu-lhe, tirando os fios de cabelo que lhe tapavam o rosto.

Ela e o outro jovem olharam-lhe com um ar confuso. O olhar dela deslizou para o pulso do jovem que acidentalmente lhe dera um encontrão. Zero dias, zero horas, zero minutos e zero segundos. Os três tinham o mesmo número no pulso. 

 

Foi inspirado pelo filme In Time (protagonatizado por Justin Timberlake e Amanda Seyfried) onde as pessoas ao atingirem os 25 anos deixam de envelhecer mas apenas possuem mais um ano para viver. Em ordem de ganhar tempo, trabalham e o seu salário são horas de vida. Assim se distinguem os ricos (basicamente imortais porque possuem imenso tempo) e os pobres que contam todos os segundos da sua vida.

 

publicado por Ar às 03:16
link do post | comentar | favorito (1)
19 comentários:
De Miguel Alexandre Pereira a 19 de Dezembro de 2013 às 12:37
Gostei imenso da tua adaptação, está muito giro mesmo! Escreves muito bem e está aqui mais uma demonstração do teu talento! Sinceramente, eu gostei imenso do conceito do filme In Time, está muito bem pensado!


De Blueberries a 19 de Dezembro de 2013 às 22:42
Sim, o curso de Francês correu muito bem :)


De filipa. a 20 de Dezembro de 2013 às 20:27
o mundo proibido de daniel v :)


De apenasdesejo a 20 de Dezembro de 2013 às 21:38
Ainda bem,que elas existem** Se não morria :3
beijinho*


De lostdreams a 20 de Dezembro de 2013 às 21:57
também adoro o natal

aw adorei mesmo este texto e deixou-me a pensar. está muito lindo
vou seguir o teu blog :)
beijinhos


De Tay a 24 de Dezembro de 2013 às 18:04
Feliz Natal :)


De Christine a 30 de Dezembro de 2013 às 15:00
Adorei o texto, mesmo muito lindo :)
E tiveste uma ótima inspiração, adorei imenso o filme In Time , é um filme muito bem conseguido e cativante.
beijinhos


De lostdreams a 29 de Janeiro de 2014 às 20:53
a sério? oh... por acaso estava um pouco receosa de ler esse livro porque nunca tinha ouvido nenhuma opinião sobre ele, então pronto. mas agora que falaste se calhar nem leio mesmo. eu já li a culpa é das estrelas :)


De lostdreams a 29 de Janeiro de 2014 às 20:58
sim, eu vou ver opiniões depois. pois, eu gostei do outro e este ia ler porque pensei que fosse igualmente bom xd. tenho de ver


De filipa. a 29 de Janeiro de 2014 às 21:18
é mesmo querida :)


Comentar post